Como cuidar dos pneus da sua moto

O segredo é manter a calibragem bem ajustada, pois o pneu precisa estar aderente ao solo para que o condutor tenha toda segurança durante a pilotagem.

Não esqueça que ao carregar alguém na garupa é preciso aumentar a pressão do pneu traseiro.

Já o dianteiro deve usar em torno de quatro libras a menos, pois o volume cúbico é menor quando comparado ao que vai na traseira.
A calibragem varia de acordo com as medidas do pneu, porém sempre são divulgadas tanto pelo fabricante da moto quanto pelo fornecedor do pneu. É importante ficar atento aos detalhes, pois o pneu esquenta com a rodagem e isso provoca uma dilatação do ar, o que pode aumentar a calibragem em até 6 libras.

Assim sendo, tenha em mente que ao calibrar o pneu a pressão vai aumentar e em uma viagem, por exemplo, o pneu pode ficar muito duro, vai perder aderência e isso o condutor vai sentir mais durante as curvas. Para andar na cidade mantenha a calibragem justa, mas ao ter que trafegar por distâncias maiores, como na estrada, por exemplo, ajuste a calibragem para menos, a fim de compensar o aumento da pressão. Uma dica legal é calibrar com nitrogênio, pois o ponto de dilatação é mais elevado , o que mantém a calibragem mais estável e por mais tempo.

Outra preocupação com os pneus está no momento de fazer a troca. Ao escolher um local para esse serviço confira se a máquina de montagem é mesmo para motos. Esse cuidado é essencial, principalmente para as rodas raiadas. Geralmente os pneus originais agüentam em torno de 10 a 12 mil quilômetros, mas independente da quilometragem é importante ficar atento ao friso na faixa central. Quando perceber que tem falhas, ou seja, está gasto, não bobeie e procure fazer a substituição o quanto antes. Certa instabilidade também pode denunciar o momento da troca, assim o fundamental mesmo é não estender a substituição.

Para escolher o pneu certo, o melhor é manter a versão original de fábrica, mas como existem vários tipos de pneus, o condutor pode optar por uma versão de composto mais duro, que vai durar mais, porém menos eficaz para aqueles pilotos que pretendem andar mais forte, utilizando toda a capacidade do pneu. O composto do tipo mais macio por sua vez vai durar menos, entretanto conta com a melhor aderência e isso se converte em segurança. Para todos os fins, sempre é bom seguir a recomendação do fabricante da moto, mesmo para fazer alterações. Após a troca lembre-se de que todo pneu vem de fábrica com uma camada de cera bastante escorregadia. Assim, evite forçar as acelerações nas primeiras voltas, principalmente nas curvas.

Lançamento Honda NXR Bros 150cc 2013

A Honda Bros NXR 150 é um sucesso em todo o país e não é por menos. O modelo é como se fosse uma CG porém com melhores suspensões e pronta para todo tipo de estrada. E como as estradas e ruas no Brasil deixam muito a desejar, nada melhor que uma moto que encara qualquer obstáculo!
Para se ter uma ideia, na região norte do país a NXR 150 Bros vende mais que a Honda Biz e o motivo é justamente as condições precárias das vias e no nordeste a situação ainda é pior!
bros zps00f7ada5 Honda Bros 150 com novo visual em 2013
O modelo conta com aro 19 já que ele não é destinado às trilhas mas justamente para as péssimas estradas brasileiras, ou seja, a moto já foi feita para este segmento. E para 2013 a Honda traz novamente o modelo que promete repetir o sucesso!
Agora a Bros conta com 125 cc e o visual bem semelhante ao modelo anterior. Seu motor não será bicombustível e não terá freio a disco nem mesmo como opção para o consumidor.

A NXR 150 Bros será comercializada em duas versões, a ES que conta com freio a tambor e preço de R$ 8.640 e a versão ESD com disco na dianteiro e preço de R$ 8.990,00. As duas versões oferecem partida elétrica. Será possível adquirir a nova Bros somente nas cores verde, preta ou vermelha.
No ano passado o modelo respondeu a 73% deste segmento e para 2013 chega atualizada, com várias melhorias para conquistar a liderança!
Passe em uma concessionária Honda para conhecer a nova Honda Bros 150, a moto ideal para o dia a dia dos brasileiros.

Quer ver mais fotos dessa lançamento? Clique aqui !
Não deixe de acessar nossa Fanpage e fica por dentro de todas as novidades do motociclismo!
http://www.facebook.com/ManoloMotosOficial

Triumph inaugura sua estadia no Brasil com 06 motos.

Uma das mais antigas marcas de motos do mundo, a Triumph está chegando ao Brasil. Com um investimento de cerca de R$ 19 milhões no País, a inglesa abre sua 10ª subsidiária do mundo, com sede em São Paulo (SP) e nova fábrica em Manaus (AM).

No dia 10 de novembro, a primeira concessionária Triumph no mercado nacional vai abrir, no bairro do Itaim, em São Paulo (SP), e começará a venda de seis modelos de motocicletas.

São três nacionais, com montagem em Manaus iníciada no mês passado: a Bonneville T100, que custa R$ 29.900, a super naked Speed Triple, que tem preço de R$ 42.900, e a Tiger 800XC, que valerá R$ 39.900. Somam-se a elas mais três motos, desta vez importadas: a Thunderbird Storm, com valor de R$ 49.900, a Tiger Explorer, de preço R$ 62.900, e a Rocket III Roadster, por R$ 69.900. Todas já vêm de série com o sistema de freios ABS, com exceção apenas da Bonneville T100.

“Acreditamos que o mercado brasileiro a médio e longo prazos tenha condições de absorver cerca de 4.000 motos da Triumph por ano”, adianta Marcelo Silva, gerente geral da subsidiária brasileira.

Em abril, chegam mais modelos, que também serão produzidos na linha de montagem de Manaus. São eles a Street Triple, que foi remodelada na Inglaterra, e a esportiva Daytona.

Triumph vai trazer para o Brasil inicialmente seis modelos de motos, veja abaixo:

Produção

A fábrica da Triumph ocupa uma área total de 2.000 m², empregando diretamente 38 pessoas e possuindo capacidade atual de produção de 5.000 motocicletas por ano.

Após aberta a primeira concessionária em São Paulo, a Triumph Triple, serão inauguradas, ainda no primeiro trimestre de 2013, lojas em Porto Alegre, Ribeirão Preto e Rio de Janeiro. A meta é de abrir oito revendas até o final do ano que vem e chegar a uma rede de 12 distribuidores até dezembro de 2014.

Também está sendo lançada pela Triumph no Brasil uma linha de roupas, calçados, objetos de uso pessoal e acessórios para motos, que soma perto de 35.000 itens na Inglaterra.

Como manter o freio da moto com segurança ?

Saiba como manter o sistema de freios da moto funcionando com segurança

Da Infomoto
Divulgação

Freios são vitais para a segurança do motociclista

Freios são vitais para a segurança do motociclistaO ditado “moto foi feita para correr, não para brecar”, além de perigoso, é enganador. Assim como o motor, o sistema de freios é um componente essencial para a motocicleta. Com apenas duas rodas, as motocicletas têm pouca área de atrito com o chão, tornando a frenagem mais complexa. É este contato entre os pneus e o solo que faz o veículo parar — nada adianta um freio potente se a moto está rodando em uma pista lisa feita sabão. A motocicleta não irá parar e as chances de uma queda são grandes.

TIPOS DE FREIO
Em motos antigas ou de baixa cilindrada, o freio utilizado é o sistema a tambor. Sua manutenção é mais barata, porém sofrem mais em condições adversas como chuva e quando têm manutenção ruim. Há o mito de que os freios a tambor são ineficazes, mas se bem regulados funcionam tão bem quanto o sistema a disco.

No caso de entrar água dentro do tambor as lonas podem acumular sujeira e gerar ruídos durante a frenagem. Também há o risco de vitrificação da lona, ou seja: a lona perde a aspereza necessária para entrar em atrito com o cubo da roda, diminuindo o poder de frenagem. Para reverter essa situação, basta lixar as lonas para que voltem a ficar ásperas. O trabalho pode ser feito com uma lixa de ferro em casa ou na oficina.

Os freios a disco, utilizados em motos mais potentes, são compostos pelo conjunto de pastilhas, pistão, fluido de freio e disco. Seu funcionamento é hidráulico. Ou seja, ao acionar o manete ou o pedal, o fluido de freio se move em direção à pastilha e empurra o pistão; esse, por sua vez move a pastilha para entrar em contato com o disco. Motos com freios a disco oferecem uma resposta mais rápida do que as equipadas com o sistema a tambor, mas o motociclista também gasta mais em sua manutenção. Por ficarem expostos, os discos estão sujeitos a avarias.

Já em uso constante, como por exemplo em uma longa descida de serra, os freios apresentam a tradicional fadiga. As respostas ficam mais lentas em função da alta temperatura alcançada pelo fluido de freios, que pode evaporar e retardar o tempo de resposta. Ou seja, a motocicleta precisará de mais espaço para realizar a frenagem.

DICAS

Para manter o correto funcionamento dos freios, seguem alguns cuidados para o motociclista seguir e fazer a manutenção preventiva do equipamento:

  • Verificar e ajustar a folga dos manetes e pedais conforme o manual do proprietário da motocicleta.
  • No caso de freio dianteiro a tambor é recomendável observar o estado do cabo de acionamento, se necessita de lubrificação ou troca.
  • Ruídos metálicos vindos das rodas é sinal de que as pastilhas estão gastas e podem danificar os discos.
  • No caso de freios a tambor, conferir a regulagem dos freios próxima ao cubo das rodas.
  • Regular a altura do manete conforme a preferência do piloto, em motos que permitem esta regulagem.
  • Verificar o nível de fluido de freio em motos com freio a disco.
  • Conferir se o sistema de freios produz algum ruído incomum. É sinal de avarias no sistema.
  • Colocar a motocicleta no cavalete central (se possível) e girar as rodas para conferir se há algum empeno nos discos.
  • Freios com acionamento “borrachudo” podem ser reparados, muitas vezes, com a sangria do sistema de fluido de freio.

(por Bruno Parisi)

Dupla tributação do ICMS aumenta preço do produto em 15%

Sempre quando enviamos mercadorias para nossos clientes para o Centro Oeste, Norte e Nordeste , eles encontram problemas pelo motivo da tributação da qual tem que pagar um valor para a fiscalização , antes de retirar o produto no correios, infelizmente não sabendo como se portar acabam pagando o imposto pela segunda vez, por isso viemos aqui hoje para informar como deve ser feito para que não tenha que pagar dupla tributação,  o estado de SP é o estado que recolhe mais imposto em nosso país e também e o estado que possui o imposto mais alto.

ICMS

Por conta disso quando você fizer uma compra conosco pela internet ou qualquer outra empresa que seja do estado de SP solicite a nota fiscal pode ser ela (nota fiscal eletrônica, cupom fiscal ou qualquer outro documento fiscal que comprove a compra do produto com a empresa) .

Agora voltando ao assunto como fazer para não pagar o segundo imposto, primeiro apresente a nota fiscal para o fiscal , ele irá ver que você cliente já pagou o ICMS a qual ele deseja que seja feito o pagamento novamente, com isso com o porte da nota verifica que já foi pago o imposto em questão e que o valor que é cobrado é superior ao valor do seu estado sendo assim seu estado não poderá cobrar nenhuma taxa extra.

Abaixo está uma explicação melhor sobre o que seria o protocolo 21.

Mais um round da guerra fiscal no e-commerce. Os representantes do e-commerce, o governo do Estado e as entidades do comércio se reuniram nesta terça-feira (7), na sede da FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), para discutir o polêmico Protocolo 21.

Para quem não sabe, o protocolo foi instituído em 1º de abril de 2011 e tem trazido resultados um tanto quanto prejudiciais ao setor, afinal, ao permitir que os produtos enviados por outros estados a qualquer um dos 20 signatários estejam sujeitos à cobrança do ICMS também no destino, ele causa uma dupla tributação.

“Esse protocolo é um entrave a todo tipo de negócio na internet, especialmente aqueles que tenham necessidade de entregar produtos em estados signatários desse texto. Os prejuízos financeiros e operacionais são enormes. Sem falar no atraso das entregas das vendas, ou seja, o consumidor é duas vezes penalizado”, diz o presidente do Conselho de Interação e Comércio Eletrônico da Fecomercio-SP, Pedro Guasti.

Para ele, esse tipo de tributação é nefasta às relações comerciais e prejudicial aos empresários e consumidores.

Como funciona o Protocolo 21

Atualmente, participam do protocolo Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia e Sergipe, Mato Grosso do Sul e Tocantins.

A segunda cobrança do ICMS tem sido feita ao consumidor ou à empresa transportadora pelo governo do estado onde a mercadoria costuma ser entregue. Com isso, a compra não presencial, feita por telefone ou sites de vendas, pode ser onerada em mais de 15%.

“A cobrança adotada pelos 19 estados mais o Distrito Federal é inadmissível”, diz o advogado da CNC, Fernando Thiago de Mello.

Segundo ele, o protocolo desrespeita o artigo 155 da Constituição, que determina que, nas operações interestaduais para o consumidor final não contribuinte do ICMS, é devido o imposto apenas no local de origem.

“É importante ressaltar a possibilidade desses estados signatários terem que ressarcir o consumidor que pagou o ICMS, cobrado com base no Protocolo 21, caso o Supremo Tribunal Federal decida pela ilegalidade dessa cobrança”, completa.

Expectativas

Para o futuro, as expectativas do setor parecem ser positivas, afinal, os representantes da classe esperam que a Justiça julgue o protocolo como inconstitucional em pouco tempo.

“Setores e entidades de relevância como a Procuradoria do Estado de São Paulo, a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), a Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial e a Fecomercio-SP já se mostram contrários à dupla cobrança”, informa a Federação.

Referência: http://www.blogdoecommerce.com.br/dupla-tributacao-do-icms-aumenta-preco-do-produto/

Você sabe escolher o seu capacete?

Olá, a todos para começarmos bem o nosso Blog, achamos essencial colocar um vídeo explicativo, que fecha praticamente todas as dúvidas que nossos  amigos pilotos possuem , qual o capacete que devo adquirir ? o mais caro é o melhor ?  qual o tamanho ideal para mim ?

Assisti outro dia no programa auto-esporte raramente eles falam sobre nossa paixão motociclismo e nesse dia demos sorte aonde fizeram um bom vídeo sobre o mesmo.

Bom, espero que cesse as dúvidas , e lembrando que trabalhamos com várias marcas de capacetes como Bieffe, Peels , MT, GDR, Shark  entre outras onde o preço varia de  R$89.00 a R$2.000,00 .

 

Lembrando o piloto é você e não a moto, seja consciente e usufrua o máximo que puder da sua máquina com responsabilidade.

 

Link do video: http://globotv.globo.com/rede-globo/autoesporte/t/motos/v/aprenda-a-escolher-o-capacete-correto/1862538/